Resultado: Promoção 4 Anos de Papers Blood

dezembro 26, 2013 Nenhum comentário



Obrigada a todos os lindos e lindas que participaram da Promoção, mas chegou ao fim com 3 ganhadores, como prometido!

a Rafflecopter giveaway

Entrarei em contato com cada um e se não responderem em 2 dias (48 horas), farei um novo sorteio!

Mais uma vez, obrigada pela participação de todos!


Beijos!

DIY de Natal: Decoração, Cartões e Tags!

dezembro 09, 2013 1 Comentário
Olá pessoal, primeiramente, não esqueçam de participar da Promoção de 4 anos do Papers Blood, uhu!



Enfim, vocês sabem o que é DIY? Eu já expliquei sobre isso aqui no blog, se não sabe o que é ou quer ver as dicas que eu já dei, podem abrir esse post. :)

Agora que você já sabe o que é DIY, vamos ao que interessa. O Natal está chegando e às vezes enjoamos de dar aqueles mesmos presentes toooodo ano pra quem é importante pra nós. O DIY é uma opção muito legal se você quer inovar no presente, mas não to falando dele em sim, mas no embrulho e deixar com um toque mais pessoal.
O DIY é outra ótima opção pra quem quer decorar a casa, mas não tá afim de comprar aqueles enfeites feiosos que se vendem nas lojas, ou caros demais. LOL

Então vamos ao DIY especial de Natal!

Que tal decorar sua árvore de Natal com algo mais literário?




Não é fã de Harry Potter? Também tem decoração mais cute pra sua árvore. :)




E você que é nerd e participa de milhares de fandoms (tipo eu haha), tem decoração pra você também. :)




Passando pra parte de presentes, que tal fazer algo bem fofinho na hora de embrulhar seu presente? Tenho várias sugestões pra você:












Espero que tenham gostado pessoal, eu mesma já estou aproveitando algumas ideias! Caso vocês façam também ou tenham alguma nova ideia, me mostrem nos comentários, adorarei ver! <3 p="">





Beijos, Mari.


Inferno - Dan Brown

dezembro 03, 2013 Nenhum comentário
Primeiramente, não esqueça de participar da Promoção de 4 anos do Papers Blood! :)




“Os lugares mais frios do Inferno são reservados àqueles que se mantiveram neutros em tempos de crise mortal.”


Inferno – Dante Alig….OPS! Dan Brown (ai, gente, desculpa, confundi. Cof cof)

Pra começar, essa é uma resenha sim do livro Inferno de Dan Brown e não de uma das 3 partes da Divina Comédia, escrita por Dante Alighieri. Mas, como não podia ser diferente em qualquer livro do Dan Brown, incluir fatos reais e conhecidos da história da humanidade já se tornou marca registrada do moço. Então sim, vemos muito do Inferno da Divina Comédia.
Eu sou suspeita pra falar dos livros do Dan, já que sou fã, li todos e quase morri pra ler esse quando saiu. Eu estava meio apreensiva, pra falar a verdade, já que O Símbolo Perdido (livro anterior ao Inferno) não foi lá um campeão de vendas e achei bem fraquinho. Mas, qual foi meu alívio ao notar que Inferno nem se comparava ao livro anterior, Dan havia voltado a escrever como escrevia em O Código da Vinci e Anjos e Demônios, vivaaaaa.
Sem mais enrolação de fangirl de Dan Brown, vamos partir do ponto do enredo (como não curto dar spoiler, eu vou dizer basicamente o que achei do enredo e não ficar citando personagens e a história em si, ok?).
Finalmente saímos daquele clichê de que Robert Langdon já entra em cena resolvendo tudo, super badass e nós nos sentimos simples mortais que não conseguem nem lembrar o que comeram ontem. Dessa vez começamos com um Robert desorientado, sem saber onde está, com uma bela perda de memória e um ferimento na parte de trás da cabeça. Isso pra mim, já foi uma mudança e tanto, aprovei. Dessa vez nós acompanhamos a história de Langdon como se fossemos ele, na verdade, já que ele não tá entendendo nada e vai descobrindo aos poucos, assim como nós, adorei isso, não sou tão burra, wee n pera.

 

O tema central desse livro é a superpopulação, que afeta o nosso planeta e fica cada vez mais alarmante com o passar dos anos. Dan Brown tem um dom de fazer a galera ficar alarmada e especulando sobre qualquer que seja o tema de seus livros. E não é diferente com Inferno, você chega na metade do livro dizendo: PÁRA O MUNDO, EU QUERO DESCER! Afinal, o que Langdon realmente tem que fazer – com a ajuda de uma mulher É SEMPRE UMA MULHER, AI ROBERT DON JUAN – é achar um a super praga, feita por um geneticista louco, que está escondida em algum lugar do planeta, facinho né? A mulher, Sienna Brooks, não fica muito atrás do Robert na questão de cérebro super desenvolvido e sim, ela não vai deixar de nos humilhar com seu QI de Einsten que aos 4 anos já sabia três idiomas, #chorarecalque. :/
Durante todo o livro, enquanto Langdon é perseguido por soldados (precisamos de emoção, né?) e ainda tenta encontrar a tal praga, o assunto da superpopulação vem à tona diversas vezes e partindo do ponto de que Dan Brown se baseia em fatos reais, podemos dizer que a população não tem nem um século de vida. PFVR ATÉ EU SOLTARIA UMA PRAGA POR AÍ n brincs.

“Você mataria metade da população hoje para salvar a nossa espécie da extinção?”

O livro se passa – em sua maior parte – na Itália, que convenhamos, é um dos locais mais lindos do mundo. Enquanto eu lia, ficava pensando comigo mesma que esses livros do Dan deveriam sempre ser ilustrados com as magníficas obras que ele cita. Afinal, parece que o senhor Brown gosta de esfregar na cara da sociedade o quanto ele pode falar e detalhar sobre obras, monumentos e arquiteturas históricas.
Falando em detalhes, é um ponto que em algumas vezes me deixa com vontade de pular alguns parágrafos do livro, Dan Brown curte muito uns detalhes, poderíamos tirar umas 100 páginas do livro de puro detalhamento do pôr do sol ou do paletó Harris Tweed de Langdon. Mas cá entre nós, aos que já leram e até os que ainda vão ler: nunca vi tanta repetição sobre o vídeo da caverna citado no livro, aparece umas 15 vezes, a mesma coisa, sério, pra que, Dan??



De qualquer maneira, tirando repetições, detalhes demais, esfregação de sabedoria no nosso humilde rosto, posso dizer que esse é um livro maravilhoso! Todos os enigmas envoltos no Inferno de Dante e toda a criatividade que Dan Brown tem ao escrever esse livro, merecem palmas. Garanto que as vendas da Divina Comédia cresceram depois que as pessoas leram Inferno de Dan Brown.
Para vocês terem uma pequena noção do sucesso ou apenas da boa escrita nesse último livro, já foi anunciado que o mesmo virará filme! Enquanto isso, O Símbolo Perdido tá lá, ninguém fala dele, tristeza. LOL
No mais, como eu já disse antes, o livro é maravilhoso, a história é envolvente e espere pra ter um final completamente inesperado!!
Espero que com essa resenha enrolada e essa tentativa meio falha de não dar spoilers, vocês tenham sentido vontade de ler a mais nova obra de Dan Brown antes que vá pro cinema, pfvr!


Lembre-se desta noite, pois ela é o início da eternidade.”


P.S.: Você pode ler essa resenha também na segunda edição da Revista Cambalacho News, onde eu faço as resenhas de livros. Dêem uma conferida na revista, ela tá demais! :)


Então é isso pessoal, beijocas!


 
Desenvolvido por Michelly Melo.